Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

neri-site
No comando: PROGRAMA MANHÃ 87 – LOCUTOR NERI NETO

Das 07:00 as 10:00

site-andrey
No comando: PROGRAMA CONEXÃO 87 – LOCUTOR ANDREY SALLES

Das 10:00 as 12:00

a-hora-do-forro-site-joao-bahiano
No comando: A HORA DO FORRÓ – LOCUTOR JOÃO BAHIANO

Das 12:00 as 13:00

site-teus-altares
No comando: PROGRAMA TEUS ALTARES METODISTA

Das 13:00 as 14:00

carvalho-de-justica-site
No comando: PROGRAMA CARVALHO DE JUSTIÇA – PASTOR JOSÉ ROBERTO

Das 13:00 as 15:00

val-silva-show-site
No comando: PROGRAMA VAL SILVA SHOW

Das 17:00 as 19:00

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt contracenam em nova obra espetacular de Tarantino

Compartilhe:
tarantino

Famoso por seus roteiros completamente fora do padrão, Quentin Tarantino estreia mais um filme nos cinemas nesta quinta-feira (15). O longa “Era Uma Vez… em Hollywood” se passa na década de 1960 e tem um elenco de peso.

Leonardo DiCaprio interpreta o ator de faroeste Rick Dalton e contracena com Brad Pitt, que faz o papel do dublê de Dalton, Cliff Booth. Sem contar com a participação do glorioso Al Pacino (O Poderoso Chefão) e Margot Robbie (Esquadrão Suicida).

“Era Uma Vez… em Hollywood” tem tantas referências sobre a indústria do cinema que se piscar um minutinho pode perder, como a aparição da atriz Sharon Tate Polanski e do assassino Charles Manson e toda a Família Manson. Além também de referências à Bruce Lee.

Tarantino nunca decepcionou como diretor e dessa vez não foi diferente. O roteiro é impecável e a montagem de cenas deixa tudo bem dinâmico. Mesmo com a falta de linearidade, é possível acompanhar os detalhes e se prender ao longa e à estória que ele desenvolve.

A fotografia em tons quentes retrata bem a Califórnia dos anos 1960. Deixa tudo mais caloroso, por vezes mais engraçado, diverte e causa euforia no público.

Por ser Quentin Tarantino, não podia deixar faltar as cenas sangrentas. Uma briga entre hippies e os astros de Hollywood chamam a atenção e pode deixar os grandes fãs do diretor eletrizados e gratos pela grandeza do filme.

Apesar de ter duas horas e 40 minutos de duração, o longa tem uma dinâmica fácil, o que acaba deixando mais tranquilo e nem se vê o tempo passar.

“Era Uma Vez… em Hollywood” é fantástico. Assista a partir desta quinta nos cinemas.

Deixe seu comentário: