Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

neri-site
No comando: PROGRAMA MANHÃ 87 – LOCUTOR NERI NETO

Das 07:00 as 10:00

site-andrey
No comando: PROGRAMA CONEXÃO 87 – LOCUTOR ANDREY SALLES

Das 10:00 as 12:00

a-hora-do-forro-site-joao-bahiano
No comando: A HORA DO FORRÓ – LOCUTOR JOÃO BAHIANO

Das 12:00 as 13:00

jornal
No comando: JORNAL 87 FM NOTÍCIAS

Das 12:30 as 14:00

carvalho-de-justica-site
No comando: PROGRAMA CARVALHO DE JUSTIÇA – PASTOR JOSÉ ROBERTO

Das 13:00 as 15:00

val-silva-show-site
No comando: PROGRAMA VAL SILVA SHOW

Das 17:00 as 19:00

DIVERSÃO EM PAUTA: “O Escândalo” chega aos cinemas e detalha famoso caso americano de assédio sexual

Compartilhe:
3115962-jpg-r_640_360-f_jpg-q_x-xxyxx

Em 2016, o canal de TV americano Fox News estava no topo da audiência. Seus programas com tom conservador eram assistidos por milhares de americanos, muitos influenciados por Donald Trump, que na época ainda era candidato à presidência dos Estados Unidos. Além do tom político, a emissora também ganhou notoriedade após acusações de assédio e abuso sexual envolvendo Roger Ailes, presidente e chefe-executivo do canal.

Em “O Escândalo”, filme que chega aos cinemas nesta quinta-feira (16), os detalhes sobre este caso que abalou o país em pleno ano de eleição são apresentados abertamente, com depoimentos reais.

A atriz Nicole Kidman interpreta Gretchen Carlson, apresentadora de um programa da emissora, que decide processar Roger por assédio. Sua atitude deixa a mídia americana surpresa, inclusive os próprios funcionários da Fox News, mas faz com que outras mulheres tomem coragem para denunciá-lo também.

Dentre as mais de 20 vítimas estão Megyn Kelly, âncora de um importante programa na emissora, e a novata Kayla Pospisil. As duas debatem seus valores e a relação de poder que tinham com Roger, até que decidem se juntar à Gretchen.

As cenas de assédio e os relatos das vítimas são extremamente desconfortáveis e as medidas que são tomadas pela emissora são revoltantes. Fica claro que a proposta do longa é incentivar a denúncia contra casos desse tipo, além de mostrar que esse tipo de situação é mais comum do que se imagina, inclusive em ambiente de trabalho.

A ótima história e o grande elenco do filme renderam três indicações na edição do Oscar deste ano. Charlize Theron foi indicada como Melhor Atriz pelo papel de Megyn Kelly. Margot Robbie aparece na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel de Kayla. O longa concorre ainda na categoria de Melhor Maquiagem e Penteado pela caracterização das personagens.

Deixe seu comentário: